A Itatiaia recebe presente de Zé Cabral

O vídeo acima mostra o cineasta Mario Maria Fernandes Gomes em cena junto com o diretor presidente da rádio Itatiaia, num momento histórico: o cineasta lhe entrega, de presente, cenas históricas filmadas durante uma das primeiras apresentações do troféu Guará (as imagens revivem um momento de encontro entre os diretores da rádio, família Carneiro, Wilson Piazza, e outras personalidades).

Eis a mágia do cinema e da fotografia: “o retorno do morto”, como disse Roland Barthes. Este filme, capturado pelas lentes cinematográficas de Mário Gomes bem que mereciam uma reprodução digital, edição, e divulgação pois a história é feita pelos humanos e para os humanos.

Mário Gomes, em seus 80 anos, está no abandono de uma sociedade imediatista, que só pensa no agora, o sucesso é instantâneo. Assim como tantos outros sonhadores da sétima arte, Mario Gomes fez seus filmes com os próprios recursos financeiros, contando com amigos, sem investimento em tecnologia e marketing.

Convido os jovens pesquisadores e estudiosos da civilização da imagem, que é recente, a investigar esta produção, hoje em quatro telas, sem omitir as teias e os links virtuais do passado. Muitos Fellinis, Humbertos Mauro, Glauberes Rocha e Nelsons Pereira podem despontar agora, em tempos de multimídia, democracia virtual.

E, em especial, deixo um apelo ao herdeiro do sistema Itatiaia de Comunicação, que avança também pela internet com a multimídia: acredite no “re-começar” e promova nosso cineasta com o carinho, que só o rádio tem, de falar ao “pé de ouvido”, ele é modelo a se seguir por muitos outros cidadãos que o tempo veloz da publicidade e do capitalismo selvagem, esqueceu de lembrar.

O mundo muda a cada segundo, e nós também. Acredito no ser humano, na solidariedade e no amor como atitudes que poderão salvar nosso planeta terra do pior, antes que o astro rei se apague.